A janela de Javier Marías; Free New Yorker App

Capa do livro Mientras Ellas Duermen, de Javier Marías. Edição da Anagrama

Meu primeiro contato com Javier Marías aconteceu nas aulinhas de espanhol, há uns 5 anos, lá na Cultura Española da Al. Santos. A professora nos apresentou um texto incompleto e pediu que criássemos um fim. Tratava-se na verdade de um capítulo do livro Corazón tan Blanco, um dos mais famosos do escritor. Um homem em lua de mel olha pela janela do hotel e vê uma mulher, de salto, gesticulando progressivamente, com o dedo em riste apontando para a janela dele. Os outros três alunos escreveram sobre o possível encontro entre os dois. Na minha história, no entanto, a mulher se dirige ao quarto ao lado e mata o hóspede vizinho. O homem a vê fugindo pela escada mas eles nunca têm qualquer interação. No original de Marías, também, o homem procurado não é ele, é um engano do início ao fim, e o protagonista ouve uma briga de casal, que trará consequências para o seu próprio casamento.

Apaixonei-me por Marías. Comprei quase todos os livros dele. El Hombre Sentimental, Mañana en la Batalla Piensa en Mí, Todas las Almas, Negra Espalda en el Tiempo e, principalmente as coletâneas de contos Cuando fui Mortal e Mientras Ellas Duermen. Gosto dos contos mais do que tudo. Como em Corazón, em Mientras ellas Duermen, há também um turista e uma janela e alguém que ele observa. Neste caso, um casal, uma jovem linda de seus 20 anos e um homem de meia idade gordo. O turista acompanha-os com os olhos, interrogando-se sobre quem são e o que fazem ali, e por que aquele homem gordo insiste em registrar cada movimento da menina. Depois, ele encontra o homem à beira da piscina e descobre que estão hospedados no mesmo hotel. Enquanto elas dormem, eles conversam e algumas revelações são feitas. A curiosidade do turista não o deixa interromper a conversa, nem mesmo quando a sua própria mulher aparece na janela, com uma expressão de terror.

Posso dizer que essa janela e esses personagens acompanharam toda a minha vida de leitora, escritora e turista. E quando no ano passado meu pai voltou da viagem de Cannes com uma foto de dois locais no momento em que cruzam a rua,  pensei: “é a janela de Javier Marías”. Toda noite, ele ia para a janela com a sua câmera e começava a fotografar. Acho que nem ele entende direito por que gosto tanto da foto, nem mesmo depois de eu contar a história de Mientras ellas Duermen. A foto servirá de capa para meu livro no Kindle e pode ser vista aqui.

Para os que quiserem ler Marías, a Alfaguara e a Anagrama publicam em espanhol. Em inglês, a Penguin acaba de anunciar nova coleção. E na Amazon.com, você pode encontrar a versão ebook de vários dos livros — mas apenas em inglês.

Curtas:

A New Yorker acaba de anunciar seu aplicativo gratuito para iPhone — disponível mesmo para aqueles que têm conta Apple brasileira, como eu. Ainda está com alguns bugs — sou assinante e até agora não consegui logar — mas recomendo muito, principalmente para aqueles que não são assinantes. Edição atual tem download de graça. Para saber mais sobre isso, é só entrar no link abaixo.

New Yorker App disponível para download no iPhone – grátis!

Uma ideia sobre “A janela de Javier Marías; Free New Yorker App

  1. Pingback: Novas janelas (e narrativas), Os enamoramentos de Javier Marías « Literatura Estrangeira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s